Síndrome do Pensamento Acelerado: o que é e como te afeta?

Começar o dia já cansado pode ser um sinal de alerta sobre sua saúde mental! Muitas pessoas convivem com a Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA) sem perceber, o que as levam a conviverem com seus efeitos danosos que podem evoluir para quadros psicológicos mais graves.

A constante estimulação da mente pela enxurrada de informações, atividades, trabalhos e responsabilidades, se mal administradas, trazem consequências, e uma delas é o sintoma conhecido como pensamento acelerado. O quadro leva as pessoas a terem pensamentos repetitivos, e, por vezes, focado em temas específicos, como obsessões e preocupações extremas, que desgastam o seu estado mental.

A SPA é uma descoberta do psiquiatra Augusto Cury que estuda a mente humana. A síndrome não é considerada uma doença ou distúrbio, mas sim, um sintoma associado a outros quadros de transtorno, como a ansiedade, por exemplo. Segundo o pesquisador,

o excesso de informação satura o córtex cerebral, produzindo uma mente hiperpensante, agitada, com baixo nível de tolerância, impaciente e sem criatividade”.

Mas, mesmo acometendo cerca de 80% da população brasileira, conforme levantamentos do Instituto Augusto Cury, o pensamento acelerado ainda é pouco discutido.

Quais os sintomas e o que desencadeia a SPA?

Os avanços tecnológicos trouxeram facilidades para o mundo corporativo e pessoal. Graças à internet é possível conversar com pessoas à distância, ler notícias de diversos países, comprar e vender produtos online, pagar contas e assistir filmes. Mas, por outro lado, também cria quantidades absurdas de estímulos que o cérebro não está acostumado a processar com tanta rapidez.

O bombardeio de informações associado a um cotidiano atribulado, com acúmulo de funções e cobranças, podem desencadear construções excessivas e desorganizadas de pensamentos, o que desgasta e estressa a mente.

Para saber se você convive com a Síndrome do Pensamento Acelerado, se questione com as seguintes perguntas:

  • Se sente cansado logo depois que acorda?
  • Tem dores de cabeça e musculares?
  • Vive entediado e impaciente?
  • Possui dificuldades em lidar com pessoas lentas?
  • Está sempre irritado?
  • Não sabe lidar com opiniões contrárias a sua?
  • Sente dificuldade de manter o foco
  • Lapsos de memória?
  • Insônia?
  • Sofre por antecipação?

A síndrome é comumente associada ao excesso de trabalho, o que pode causar comparações com a Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional.

A diferença de uma para outra é que a SPA é desencadeada pelo consumo extremo de estímulos sensoriais, resultando em uma mente agitada. Por exemplo, um executivo que convive com pressão no trabalho é levado a verificar notificações o tempo todo, ler notícias, entrar em contato com diversas pessoas. Sua mente não para de absorver informações! O mesmo pode ocorrer com uma criança ou adolescente super-estimulados por redes sociais e entretenimentos.

Por isso, os motivos que levam ao consumo de muita informação não importam. Já a Síndrome de Burnout está diretamente associada ao esgotamento causado pelo trabalho estressante.

Como tratar?

Caso sinta alguns dos sintomas descritos acima, a orientação inicial é procurar um psicólogo ou psiquiatra. Durante a consulta, ao relatar são seus hábitos cotidianos e reações, o profissional fará um diagnóstico correto e identificará a melhor forma de tratamento.

A terapia auxiliará o paciente a entender a fundo o problema, o que pode ajudá-lo a reduzir os pensamentos repetitivos e obsessivos. O psiquiatra, por sua vez, poderá indicar medicações, como ansiolíticos e antidepressivos que auxiliam na redução da ansiedade e ajudam a reequilibrar o humor.

Mesmo que o tratamento de distúrbios psicológicos necessite de acompanhamento especializado, há também algumas formas de amenizar ou prevenir que as pessoas cheguem a um alto nível de desordem mental, reduzindo, assim, os sintomas da Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA). Veja algumas dicas:

  • Pratique exercícios físicos, regularmente;
  • Dê pausas de descanso entre as tarefas do dia;
  • Reduza o consumo de redes sociais, telas e entretenimentos virtuais;
  • Faça atividades ao ar livre
  • Busque trabalhos que te dê prazer, como: pintar, ler, cozinhar, dançar;
  • Pratique a meditação e momentos de silêncio;
  • Outra técnica aconselhada é a prática do mindfulness ou ‘atenção plena’.

O mais importante é conseguir relaxar! Tudo da vida pede equilíbrio, por isso tente dedicar-se a sua saúde emocional para que os momentos em família e no trabalho sejam com qualidade.

Leia ainda os artigos:

7 dicas para o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal
Essencialismo na prática: como tornar seu trabalho mais produtivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.